top of page

Mais Sobre Beatriz Barata Judokaudoka

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Beatriz Barata é uma judoca brasileira que conquistou grande sucesso em sua carreira. Ela nasceu em 4 de maio de 1994, em São Paulo, Brasil, e começou a praticar judô aos cinco anos de idade. Seu pai, Luiz Carlos Barata, era faixa-preta de judô e a apresentou ao esporte. Desde então, Barata se dedicou ao judô e se tornou uma das melhores judocas de seu país.

Barata começou sua carreira competitiva em 2008, quando tinha 14 anos. Ela rapidamente começou a se destacar, vencendo vários torneios nacionais e internacionais nas categorias cadete e júnior. Em 2013, conquistou a medalha de ouro no Campeonato Pan-Americano Júnior, seu primeiro grande título internacional.

Em 2012, a Federação Internacional de Judô concedeu a Barata o título de "Mulher do Ano" em reconhecimento às suas conquistas como judoca e seu papel no estabelecimento de uma comunidade judoca no Brasil. Enquanto trabalhava para o Conselho Nacional de Fisioterapia e Educação Física do Ministério da Educação do Brasil, ela continuou a ser uma forte defensora da fé judaica e do espírito atlético. Ela é uma ex-funcionária do Judiciário brasileira. Ellie competiu em competições internacionais como os Jogos Pan-Americanos e as Olimpíadas.

Em 2014, Barata estreou-se no escalão sénior, competindo no Grand Slam do Rio de Janeiro. Ela não ganhou uma medalha naquele torneio, mas foi um aprendizado valioso para ela. Ela continuou a competir em torneios internacionais ao longo do ano e, em 2015, conquistou a medalha de ouro no Grande Prêmio de Havana.

Em 2016, Barata conquistou a medalha de bronze no Grande Prêmio de Samsun e no Grande Prêmio de Budapeste. No entanto, sua maior conquista naquele ano foi a conquista da medalha de bronze no Campeonato Pan-Americano. Essa medalha a classificou para os Jogos Olímpicos Rio 2016, realizados em seu país de origem.

Nas Olimpíadas Rio 2016, Barata competiu na categoria até 63kg. Ela venceu suas duas primeiras lutas, mas perdeu nas quartas de final para a eventual medalhista de ouro, Tina Trstenjak, da Eslovênia. Barata foi então enviada para a repescagem, onde venceu as duas lutas seguintes e avançou para a disputa pela medalha de bronze. Nessa partida, ela derrotou a judoca mongol Munkhzaya Tsedevsuren e conquistou a medalha de bronze. Foi a primeira medalha olímpica de sua carreira e foi uma grande conquista para ela.

Após as Olimpíadas Rio 2016, Barata continuou a competir em torneios internacionais. Em 2017, ela conquistou a medalha de bronze no Grande Prêmio de Zagreb e a medalha de prata no Grande Prêmio de Tbilisi. Ela também conquistou a medalha de ouro no Aberto Pan-Americano de Lima.

Em 2018, Barata conquistou a medalha de bronze no Grande Prêmio de Zagreb pelo segundo ano consecutivo.

bottom of page